terça-feira, 19 de julho de 2011

TRABALHO DE EQUIPE

TEMOS QUE PARABENIZAR O SINDICATO QUE ESTEVE TODO O TEMPO AO LADO DOS TRABALHADORES NESTA LUTA QUE ESTA SÓ NO COMEÇO, MOBILIZAÇÃO ENCHOVA ESTEVE EM MACAÉ NO DIA 21/06/2011 QUANDO A PETROBRAS DESEMBARCOU DEZENAS DE FUNCIONÁRIOS QUE ADERIRAM A GREVE E COORDENADORES DAS EMPRESAS ESPALHARAM BOATOS QUE A PETROBRAS ESTARIA BLOQUEANDO O “SISPAT” DESTES TRABALHADORES, PODEMOS PRESENCIAR A ENTIDADE CUSTEANDO DESDE HOSPEDAGEM ATÉ PASSAGEM PARA FUNCIONÁRIOS QUE ERAM DE OUTRAS CIDADES E FORAM DEIXADOS EM MACAÉ.
COMPANHEIROS NÓS FICAMOS EM SILÊNCIO POR UM MÊS, POIS QUERIAMOS SABER A OPINIÃO DOS TRABALHADORES NOS COMENTÁRIOS, ALGUNS BAIXARAM O NIVEL FAZENDO ACUSAÇÕES E OUTROS CULPARAM O SINDICATO SÓ QUE NESTA BRIGA ESQUECEMOS DAS CONQUISTAS.
1º - PELA PRIMEIRA VEZ TRABALHAMOS EM EQUIPE, TRABALHADORES E SINDICATO.
2º - COSEGUIMOS LEVAR AS NOSSAS REIVINDICAÇÕES PARA FORA DA CIDADE DE MACAÉ, ONDE SABEMOS QUE AS EMPRESAS FORMARAM UM PODEROSO CARTEL SALARIAL
3º - MELHORAMOS MUITO O NIVEL DE ORGANIZAÇÃO QUE ANTES ERA ZERO.
QUANTO AO GRANDE INDICE DE COMPANHEIROS QUE RETORNARAM AO TRABALHO NO DIA 22/06/2011, JÁ ERA PREVISTO E NÃO PODEMOS JULGA-LOS POIS A PRESSÃO PSICOLÓGICA A QUE OS TRABALHADORES FORAM SUBMETIDOS TERIA UM EFEITO NEGATIVO COMO JÁ ESPERAVAM AS EMPRESAS QUE DIVULGARAM UM DOCUMENTO COM TAIS MEDIDAS E O MESMO JÁ SE ENCONTRA EM POSSE DO SINDICATO.
TEMOS NOTICIAS NÃO OFICIAIS DE PESSOAS QUE ESTIVERAM NA SEÇÃO ESPECIALIZADA EM DISSÍDIOS COLETIVOS ( SEDIC ), PRESIDIDA PELA DESEMBARGADORA MARIA DE LOURDES SALLABERRY, NO DIA 6/7/2011, QUE AS EMPRESAS NÃO TIVERAM ARGUMENTOS E A GRANDE DIFERENÇA DE SALÁRIO ENTRE AS UNIDADES, (BACIA DE CAMPOS MACAÉ RJ E REDUC DUQUE DE CAXIAS RJ. ), DEIXOU UMA PERGUNTA IMPORTANTE PORQUE FUNCIONÁRIOS TERCERIZADOS DA MESMA EMPRESA NO MESMO ESTADO E COM QUALIFICAÇÕES SEMELHANTES RECEBEM SALARIOS TÃO DIFERENTES, A ÚNICA DIFERENÇA NA VERDADE É O REGIME DE CONFINAMENTO E RISCOS QUE NO CASO DA BACIA DE CAMPOS É MUITO ELEVADO.
NO PASSADO AS REMUNERAÇÕES LAVAVAM EM CONSIDERAÇÃO ESTA CONDIÇÃO ESPECIAL DE TRABALHO, HOJE A COISA SE INVERTEU E NÓS ACOMPANHAMOS CASOS COMO DA EMPRESA IMETAME QUE ABUSIVAMENTE NÃO DEPOSITOU O ADIANTAMENTO DE FUNCIONÁRIOS QUE GANHAM POUCO MAIS DE UM SALARIO MÍMIMO POR MÊS COMO FORMA DE PUNIÇÃO.
AGORA TEMOS QUE CONTINUAR ORGANIZADOS POIS A LUTA CONTINUA E NOSSA PAUTA NÃO SE RESUME EM AUMENTO DE SALARIO TEMOS OUTROS ITENS MUITO IMPORTANTES QUE NÃO ESTÃO SENDO DIVULGADOS.

3 comentários:

  1. Greve vitoriosa dos trabalhadores de WP da Halliburton
    Durante cinco dias os trabalhadores do setor de WP da Halliburton cruzaram os braços e fizeram uma greve histórica na empresa. O resultado foi a conquista de avanços significativos para o grupo. Entre os avanços obtidos estão o bônus offshore da linha WP teve um aumento de mais de 140%, a partir de maio de 2011; a compra de folga, sendo 25% do total acumulado no primeiro mês e 10% nos meses subsequentes até quitação; o reajuste anual do bônus; a manutenção da equipe com quatro trabalhadores, salvo casos excepcionais; a não aplicação de punições; e o abono dos dias de paralisação.
    A proposta foi aprovada por unanimidade em assembleia de avaliação do movimento realizada no dia 11 de março, às 12h, na porta da empresa.

    Histórico

    O Sindipetro-NF vinha tentando negociar com a empresa os problemas que se acumulavam no setor. Entre eles, a baixa remuneração, pagamento de bônus com os menores valores praticados pela Halliburton (ainda descontando o valor do ticket refeição), acúmulo de folgas além do que está previsto no Acordo Coletivo, redução das equipes embarcadas, não pagamento da interinidade e assédio moral por parte da chefia.
    Para tentar resolver essa situação, a diretoria do NF chegou a cobrar a solução do problema das horas extras na Comissão de Regimes e Jornadas, mas nada foi fechado. No final de abril, os diretores do NF fizeram reuniões setoriais com esses trabalhadores nos dias 27, 28 e 29 e depois, com auxílo da Federação Única dos Petroleiros a direção do NF chegou a ir ao Rio e se reunir com representantes do jurídico da empresa, mas sem nenhuma proposta oficializada.
    Diante desse quadro, a diretoria convocou a categoria para decidir sobre uma greve a ser iniciada no dia 6 de maio, aprovada pelo grupo e realizada de forma organizada.

    Imprimir Indique




    « voltar

    ResponderExcluir
  2. ISTO É GREVE A GANHOS DE CAUSA

    ResponderExcluir
  3. è concordo com vc Luiz na halliburton a greve só foi nessa empresa será que todas parariam que nem o pessoal da nossa categoria parou pelomenos o pessoal embarcado? 1 empresa é facil por que lá todos pararam e a nossa categoria que são desunidas...ok companheiro...

    ResponderExcluir